Fev

23

Zeca desfilou pela Grande Rio, neste domingo (22), junto com a diretoria da escola. De cartola, colete e casaca, cruzou a Sapucaí empolgado distribuindo abraços e acenando para o público. O sambista chegou à Sapucaí cedo e foi para o camarote da Grande Rio. Quando a Império Serrano passou pela avenida, Zeca desceu. Ele queria ver a escola do seu comprade, Arlindo Cruz. Depois, foi a vez dele mesmo desfilar pela passarela do samba.

Em seguida, deixou de lado a fantasia, e de sandálias e bermuda para subir no palco montado no camarote da Brahma. “Deixa a Vida me Levar”, abriu o show empolgando os convidados que se esbaldaram ao som “Vai vadiar”, “Uma prova de amor” e outros sucessos. Durante o show convidou a atriz Juliana Knust para subir no palco. Suzana Vieira, Paola Oliveira, rainha de bateria da Grande Rio, Leona Cavalli também não resistiram e sambaram ao lado de Zeca. O gari-celebridade Renato Sorriso mostrou todo seu gingado no palco.

Confira fotos na galeria!
Veja outras fotos no Globo Online

Zeca desfila na Portela e Imperatriz

Nesta segunda (23), ele desfila pela Portela, sua escola de coração e pela Imperatriz Leopodinense que comemora 50 anos com um desfile dedicado à sua história e que terá um carro homenageando o Cacique de Ramos. Zeca não podia ficar de fora. Afinal, ao lado de Arlindo Cruz e Beth Carvalho, ele também faz parte do enredo.

Em entrevista ao site do Cacique, Zeca falou sobre sua história com a agremiação. “O Cacique foi a mola de tudo. Aquilo era um bate-bola maravilhoso. Não tinha essa de querer aparecer. Era papo de malandro. Eu fazia um samba com o Arlindo Cruz, com o Cláudio Camunguelo, e ficávamos esperando chegar quarta-feira para mostrar no Cacique. A gente ia para lá ver o Jorge Aragão, o Almir Guineto. Eles chegavam na roda e todos paravam para ouvir. O respeito era impressionante. Cantávamos por cantar. Fazíamos samba na hora. Certo dia, já de manhã, eu e Bandeira Brasil não queríamos ir embora, então pagamos a nossa permanência por mais uma hora com um samba: “Lá onde nós madrugamos / É o Cacique de Ramos / Onde o samba foi morar / Procuro sombra / que é pra do sol me abrigar”.

No Cacique tinha uma turma da pesada que pouca gente conhece. O Baiano era genial, assim como o Neoci e o Marquinhos China, que eu considero o único cara, hoje, capaz de versar comigo e com o Arlindo. Não um verso qualquer. Mas o verso de quem fala bonito, na hora, no tema. Só ele bate mesmo de frente com a gente. Não tem negócio de decorar verso não.”


A entrada da Imperatriz na avenida está prevista entre as 23h10 e 23h40. Já a Portela sai entre 0h15 e 1h.

Em breve, aqui no site fotos e vídeos exclusivos!