Novidades

Sambabook ganha prêmio no RJ

Postado em # #

Set

23

Nessa segunda – feira (22) aconteceu no Rio de Janeiro, a terceira edição do Prêmio Contigo MPB de Música, uma parceria entre a revista Contigo e a rádio MPB FM.

Zeca esteve em dois momentos especiais no palco. Primeiro, ele entregou o Prêmio de Melhor Disco de Samba para Monarco, da Velha Guarda da Portela.

monarco-e-zeca-pagodinho-premio-contigo-de-musica-75518

E depois, subiu ao palco para receber o Prêmio de Melhor Projeto Especial pelo
“Sambabook Zeca Pagodinho” .

zeca-pagodinho-75504

Foi uma noite repleta de encontros, confira no Instagram do Zeca imagens dos bastidores dessa festa tão importante para a música brasileira!

Histórias de Uma Canção | “Caviar”

Postado em # # #

Set

15

Os fãs de Zeca Pagodinho conheceram “Caviar”em 2002, com o lançamento do décimo quinto disco do artista. O álbum “Deixa a Vida me Levar”marcou a mudança de Zeca de Xerém para a Barra da Tijuca, e com isso veio o impacto das diferenças socioeconômicas e culturais dos dois lugares. Procurando um tapete para comprar, Zeca deparou-se com um que custava 30 mil reais. Indignado, perguntou à vendedora: “Por que esse preço, ele voa?”.

Foi nesse contexto que surgiu “Caviar”, composto pelo Trio Calafrio (Luiz Grande, Barbeirinho do Jacarezinho e Mauro Diniz), a música inspirou Zeca: decidiu-se que levaria a iguaria aos seus amigos de Xerém. Eram apenas seis latinhas para 15 pessoas, mas acabaram sobrando quatro latas e meia; todos, sem exceção, fizeram cara de repulsa ao provar o tão falado (e cantado) caviar. O que salvou o grupo foi uma panela cheia de pé de galinha com inhame, que em menos de meia hora ficou completamente vazia.

caviar_do_Zeca

O samba teve direito a um super videoclipe promocional, com participação de diversos artistas:

(Fonte: “ZECA – Deixa o Samba me Levar”, livro do Sambabook do cantor, de autoria de Jane Barboza e Leonardo Bruno)

Histórias de Uma Canção | SPC

Postado em # # #

Set

10

O primeiro disco solo de Zeca Pagodinho foi lançado em 1986, em um show que, de tão lotado e bem-sucedido, surpreendeu até os organizadores. “O trânsito teve que ser desviado, havia medo de que o público derrubasse os portões do clube (Helênico), ‘eram umas 10 pessoas por centímetro’, segundo o próprio Zeca.”, contam os autores do livro “ZECA – Deixa o Samba me Levar”.

Inspirada na época em que Zeca já vivia da arte, mas ainda não tinha uma situação financeira confortável, a canção que abre o álbum, “SPC”, conta uma história verídica.

Zeca precisou parcelar uma dívida em uma loja e pediu a sua namorada da época para fazer um crediário, já que apenas ela tinha como comprovar a renda mensal. Tudo estaria resolvido perfeitamente se, dias depois, os dois não tivessem brigado. Resultado: ele ameaçou não pagar as contas, o que levaria o nome da moça ao SPC (Serviço de Proteção ao Crédito). E assim, dessa crônica pessoal, nasceu a música, que logo virou sucesso. “SPC” foi composta em parceria com o amigo Arlindo Cruz, presente em todos os passos iniciais da carreira de Zeca e parceiro frequente do artista até hoje.

Zeca_SPC

Dê o play e relembre esse samba:

(Fonte: “ZECA – Deixa o Samba me Levar”, livro do Sambabook do cantor, de autoria de Jane Barboza e Leonardo Bruno)

Bastidores do Sambabook em vídeo inédito

Postado em # # # # # # #

Set

04

foto-mak-of-zp

Durante a gravação do Sambabook Zeca Pagodinho, uma equipe filmou os bastidores e registrou entrevistas com todos os convidados do projeto.

Depoimentos emocionados de artistas como Beth Carvalho, que conta como conheceu o sambista: “Aí me aparece uma figura magricela, com chinelo de dedo, um cavaquinho dentro de uma sacola de supermercado e aí resolveu cantar. Quando ele cantou: eu adorei“,  Gilberto Gil:  “O Zeca é completamente encaixado no modo brasileiro de ser” , Roberta Sá: “Você encontra o Zeca e ele é a mesma pessoa que você está vendo na televisão“, entre outros ajudam a entender esse personagem tão importante da cultura brasileira.  Aperte o play e aproveite!